Preço dos alimentos atinge o maior nível em 7 anos

81
Foto Ilustrativa

Em janeiro, os produtos alimentares ficaram 4,3% mais caros mundialmente, a oitava alta seguida

O índice de preços dos alimentos, medido pela FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) e divulgado nesta quinta-feira, 4/1, subiu 4,3% em janeiro na comparação com o mês anterior. Com esta oitava alta consecutiva, o índice alcançou a média de 113,3 pontos, a maior desde julho de 2014.

De acordo com a FAO, a alta do preço dos alimentos foi puxada pelos cereais, açúcar e óleos vegetais. O preço dos cereais, por exemplo, subiu 7,1% em janeiro, “refletindo o fornecimento global cada vez mais restrito com produção e estoques mais baixos do que o esperado anteriormente nos Estados Unidos, e compras substanciais pela China”, segundo a organização.

Já o preço do óleo vegetal subiu 5,8% em janeiro, atingindo o maior patamar desde 2012. O açúcar, por sua vez, subiu 8,1%.

Produtos como laticínios e carnes tiveram ganhou mais discretos. As carnes ficaram 1% mais caras, enquanto os laticínios subiram 1,6%. Dentre as carnes, as que mais viram seus preços subirem foram as aves, sobretudo as de origem brasileira, “sustentadas pela forte demanda global de importação, enquanto surtos de gripe aviária restringiram as exportações de aves de vários países europeus”.

COMPARTILHAR