S. S. do Passé: PM prende 3 traficantes e delegada não faz flagrante de drogas

939
Foto enviada por App

A titular Maria Angélica lavrou um TC (Termo Circunstanciado) que é um registro de um fato tipificado como infração de menor potencial ofensivo, ou seja, os crimes de menor relevância, que tenham a pena máxima cominada em até 2 anos de cerceamento de liberdade ou multa, e não como traficantes de drogas.

Os policiais do Peto 1 (Pelotão de Emprego Tático Operacional), da 10ª CIPM (Companhia Independente da Polícia Militar) com sede em Candeias, na Região Metropolitana a 46 km de Salvador, mas com jurisdição também em Madre de Deus, São Francisco do Conde e São Sebastião do Passé, prenderam no domingo, 7/06, dois supostos traficantes e a mãe de um deles, na Rua Barão do Rio Branco, no Bairro do Santo Antônio, em Candeias.

Durante a ação, um dos criminosos ao perceber a presença da viatura jogou sacolas pela janela da casa para despistar os policiais e empreendeu fuga. Com autorização da proprietária da residência, os PMs realizaram busca no imóvel e, na sequência, prenderam os dois traficantes e a proprietária.

Com os traficantes R.S.C, conhecido como “Capixaba”, E.S.S, e a mãe de um deles e proprietária do imóvel, que trabalhariam para Natanael Santos, o ‘Natan ou Gordo’, do Baralho do Crime, foram encontrados:

36 porções de substância aparentando ser cocaína;

▪23 pedras de substância aparentando ser crack;

▪1 porção de erva aparentando ser maconha;

▪1 balança de precisão marca XSD;

▪grande quantidade de sacos utilizados na embalagem;

▪1 pacote cheio de pinos vazios para acondicionar cocaína;

▪2 aparelhos celulares;

▪R$ 47,95 em cédulas e moedas diversas.

Por que não tráfico de drogas

A guarnição da Peto se dirigiu para a 20ª DT (Delegacia Territorial), em Candeias, mas, novamente não tinha delegado plantonista, algo corriqueiro ultimamente.

Assim, os PMs foram até a 37ª (DT), em São Sebastião do Passé, a 15 km de Candeias, para apresentação dos detidos.

Aí surgiu a surpresa. A delegada titular da 20ª DT, que estava no plantão, se recusou a lavrar o flagrante de ‘tráfico de drogas’, apesar da apresentação dos 3 detidos e de todo o material que havia sido apreendido.

O fato configuraria o artigo 33 da Lei das Drogas de nº 11.343/2006, que afirma que caberá pena de reclusão de 5 a 15 anos para quem importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ou em resumo tráfico de drogas com penas de prisão muito superiores.

COMPARTILHAR