Salvador: Região Metropolitana sofre com intensidade da chuva

429
Foto enviada via Whats'App

Deslizamentos, engarrafamentos e muitos transtornos marcaram a manhã deste terça-feira, 26/11, em Salvador e Região Metropolitana

Salvador e parte (são 13) das cidades que integram a Região Metropolitana sofre com a intensidade da chuva nas últimas horas deixando a tráfego muito difícil nas ruas, avenidas e estradas, como BR 324, BAs 522 e estrada a Base Naval a BR 324.

Nas últimas 72h, bairros de Salvador como o Retiro e a Liberdade chegaram a acumular 54 mm em nível pluviométrico. Na última hora, a Ondina e a Pituba acumularam 10,8 e 8,4 mm. Os registros são do Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec) de Salvador.

Até as 11h de hoje, a Codesal registrou 128 ocorrências. Foram oito alagamentos de área, 42 alagamentos de imóveis, sete ameças de desabamento, 13 ameaças de deslizamento, 2 árvores caídas, 3 desabamentos de imóveis, 7 deslizamentos de muro, quatro desabamentos parciais, 40 deslizamentos de terra, 1 destelhamento de imóvel e 1 infiltração.

Ainda em Salvador, as avenidas Luiz Viana Filho (Paralela), Centenário, Vasco da Gama, Vale dos Barris e a Rótula do Abacaxi, Calçada, Cidade Baixa, Avenida ACM e outras localidades apresentam pontos de alagamento, carros com água até o meio ou parados na pista.

A Defesa Civil do Salvador (Codesal) emitiu nota às 8h45 desta terça dando alerta de continuidade de chuva, podendo ocasionar alagamentos e possíveis deslizamentos de terra.

“Houve mudança para nível de alerta máximo devido a notificação de risco muito alto para deslizamento e continuidade de chuva forte próximas horas”, afirmou o Diretor-geral da Defesa Civil, Sósthenes de Macêdo.

Candeias

Na cidade de Candeias, a 46 km de Salvador, a chuva alagou também a pista da BA 522 (foto 2) no Trecho do Bairro Maria Quitéria que leva às cidades de Madre de Deus e São Francisco do Conde.

Na Praça Santa Dulce dos Pobres (foto 1), reinaugurada em 19 de outubro passado, as pedras do passeio estão soltando. Foi a primeira chuva com alguma intensidade desde a reabertura do equipamento público. A obra custou em torno de R$ 200 mil.

A forte atinge também as cidades Camaçari, a 56 km, de Lauro de Freitas, a 18 km, Madre de Deus, 67 km, e Simões Filho, a 22 km de Salvador, causando  alagamentos e transtornos para motoristas e quem precisou sair para o trabalho, escola ou outros compromissos.

COMPARTILHAR