Selo do Procel motiva economia de 15 bilhões de KWh em um ano

461

O consumidor brasileiro evoluiu na busca de produtos com mais eficiência energética e o selo do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) para esses produtos tem sido decisivo na hora da compra de eletrodomésticos e outros equipamentos. Em 2016, foram vendidos 42 milhões de aparelhos com o selo, como mostra o Relatório de Resultados 2017, referente a dados de 2016.

Em 2016, as ações do Procel motivaram a economia de aproximadamente 15,15 bilhões de KWh. O volume cresceu 29,74%, em relação ao ano anterior e equivale à energia fornecida durante um ano por uma usina de 3.634 MW.

“Há uma demanda do consumidor, que cada vez mais pede e percebe isso”, disse à Agência Brasil o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Paulo Pedrosa.

Na visão do professor de Planejamento energético do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ), André Lucena, existe um movimento de incentivo à compra de produtos mais eficientes, mas nas classes de renda mais baixa, o consumidor costuma optar pelo mais barato. “Se tem preços parecidos até vai comprar o mais eficiente se tiver esta informação, mas não vai ser o único critério na hora da compra”, disse.

Pedrosa sugeriu ainda que o consumidor deve ser incentivado a regular os aparelhos para economizar energia. “O consumidor pode ser informado, que em determinado momento, pode mudar o termostato dele de 24 graus para 26 graus e com isso economizar um dinheiro. Muitas vezes até de forma eletrônica e automática isso pode ser feito. Ou uma máquina de lavar que lava a roupa por exemplo de madrugada. Esses ganhos de eficiência melhoram muito o setor e reduzem o custo para todos. Eles [os consumidores] precisam ser estimulados”, indicou.

Fonte: Ag Brasil
COMPARTILHAR