Serra Preta: Prefeito e base mostram força e aprovam operação de crédito obras

184
Fotos: Tudo News

Sessão na Câmara na quarta-feira, 31, foi das mais concorridas no período de pandemia e os 6 vereadores da base com o apoio de Vomildo derrubaram a pseudo derrota e aprovaram o projeto que vai beneficiar todo o município

Uma sessão extraordinária convocada pelo presidente da Câmara Municipal, Adilson Oliveira Santos, em Serra Preta, na Bacia do Jacuípe a 155 km de Salvador, realizada na quarta-feira pôs fim à tresloucada artimanha dos vereadores de oposição – (Silvano (Podemos), Cezar Filho (Podemos), Leandro do Carneiro (PSD) e Eliúde Miranda (PT) –, que tentaram evitar que o município tivesse acesso a um empréstimo de até R$ 5 milhões para realização de obras de urbanização e qualificação na sede, distrito e todos os povoados serra-pretenses.

Os ditos “representantes do povo”, que foram eleitos para tentar melhorar a qualidade de vida da população, simplesmente tentaram aplicar o golpe de uma falsa sessão – sem quórum – para prejudicar praticamente todos os 21 mil moradores da cidade que ficariam privados de dezenas de obras sem os recursos com juros baixos, período de carência e 10 anos para pagar (taxa do CDI mais 5,5% ao ano e prazo até 10 anos e carência de até 1 ano).

A alegação pífia era de que neste momento a prioridade, e é, a pandemia, mas o gestor precisa prensar no pós para oferecer emprego, renda e qualidade de vida a todos os cidadãos e cidadãs serra-pretenses.

Sessão

A reunião extraordinária de ontem, pelo prazo exíguo que se encerrava, foi tumultuada e, inclusive, segundo os presentes, os “opositores do povo” levaram seguranças para lhes garantir o direito de “perturbar a ordem”, mas não conseguiram, teve a participação de lideranças locais, da imprensa e, inclusive do prefeito Franklin Leite, além do ex-vereador Vando Figueredo do grupo que apoia a atual gestão. Os protocolos de saúde foram obedecidos para evitar aglomeração e contágio da covid-19.

Votaram a favor os vereadores: Adilson, Diego de Beto, Epifânio, Gilmar do Buraco D’água, Marluí Machado e Vilma do Peixe, além de Vomildo.

Fora da Câmara, muitos carros e a presença da Polícia Militar e da Guarda Civil Municipal para garantir a tranquilidade e segurança de todos com os boatos de possíveis perturbações da ordem. Mas nada ocorreu além de discussões legislativas de situação e oposição.

Depois de anular a “sessão fantasma” de 26 último com 4 vereadores, o projeto foi colocado em pauta e, ao perceberem que seriam derrotados, aqueles que queriam impedir melhores condições de vida para os cidadãos e cidadãs serra-pretenses, se recusaram a dizer ”não”, simplesmente se abstiveram.

Na justificativa do voto, o vereador Vomildo, eleito na oposição, disse que “dava um voto de confiança ao prefeito, mas também estaria com a mesma disposição para cobrar as obras prometidas caso isso não ocorra“. “Fui eleito para ajudar o povo e farei isso sempre que for preciso“.

O projeto

Os recursos que podem chegar até R$ 5 milhões têm o objetivo de financiar o aprimoramento de infraestrutura urbana dos municípios baianos, através de projetos que possam contribuir para a geração de emprego e renda e a redução das desigualdades sociais.

O projeto vai beneficiar a sede, o Bravo, o Ponto e todos os povoados (Lagoa da Caiçara, Carocha, Bom Jesus, Cazuzão, Araticum, Jacu, Lagoa do Batista, Buraco d’Água, Cabeça do Boi, Queimada Grande, Cabaceiras, Pé de Serra, Peixe, Moro do Curral, Descanso) com construção e revitalização de praças e rede de esgotos.

Além das obras que beneficiam milhares de moradores, vão ser empregados centenas de trabalhadores serra-pretenses melhorando as condições de vida de toda a população.

COMPARTILHAR