Vendas de Natal têm melhor resultado desde 2014

682
Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil

Os brasileiros presentearam mais neste Natal, segundo dados divulgados hoje (26) pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O crescimento de 2,66%, na comparação com o ano anterior, é o melhor desempenho desde 2014.

A pesquisa levou em consideração as consultas para vendas a prazo entre os dias 4 e 24 de dezembro deste ano, período mais lucrativo do ano para o varejo. No ano passado, foi registrada alta de 2,13%. Nos anos anteriores, houve uma sequência de quedas: -2,29% (2016), -4,16% (2015) e -8,3% (2014).

O gasto médio do brasileiro com os presentes de Natal foi estimado em R$ 115,9. A previsão é de que a data tenha movimentado R$ 53,5 bilhões na economia.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, os números refletem o clima de otimismo quanto aos rumos do país, somado à retomada da confiança do consumidor e à expectativa de melhora da economia.

Crescimento

As vendas de 2018 cresceram 5,5% em relação ao ano anterior, de acordo com levantamento feito pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), feito entre 400 empresas que englobam 30 mil pontos de venda distribuídos em todo o país.

O varejo deve movimentar neste período R$ 53,5 bilhões. Entre os presentes mais procurados por segmento estão moda masculina e feminina (55%), calçados (32%), perfumes e cosméticos (31%), brinquedos (30%), acessórios de moda (19%), livros (14%), celular e smartphone (12%), joias e bijuterias (9%) e eletrônicos e eletrodomésticos (6%).

Segundo o balanço da Alshop, em todo o ano o varejo de shopping cresceu 6,0%, com um faturamento de R$ 156,3 bilhões. Os segmentos que mais cresceram foram perfumaria e cosméticos (8,0%), óculos, bijuterias e assessórios (8,0%), brinquedos (8,0%), petz (7,5%) eletrodomésticos (6,0%) e celulares e smartphones (6,0%) vestuário masculino e feminino (1,6%), eletroeletrônicos (5,0%). Já o setor de calçados caiu 5,0%.

Fonte: agenciaebc.brasil.com.br

COMPARTILHAR