Vitória pode ter prejuízo de R$ 10 milhões no ano

610
Foto: Reprodução

O presidente licenciado do Vitória, Ivã de Almeida, teve uma grande derrota na segunda-feira (23). Um parecer elaborado pelo Conselho Fiscal em agosto acabou divulgado no site oficial do clube, e pode dar razão a um processo de destituição do mandatário.

O parecer refere-se justamente ao primeiro semestre, período em que Ivã esteve integralmente no cargo, e aponta um gasto de mais de R$ 10 milhões maior do que foi orçado para o período. Só com os salários do futebol profissional, o Leão havia projetado pagar R$ 17 milhões, porém já gastou mais de R$ 22 milhões.

O parecer projeta que, pelo fluxo de caixa apresentado pelo departamento financeiro do clube, o Vitória deve terminar o ano com um gasto de R$ 12 milhões a mais do que o orçamento determinava.

O documento lembra que o presidente, segundo o estatuto, deve seguir o orçamento, salvo um pedido de complementação orçamentária, o que Ivã não teria feito.

O órgão aponta que o próprio Ivã pediu o adiantamento de salários do segundo semestre e que, depois de ser advertido, ainda não teria restituído parte do valor.

Por fim, aponta que o clube sob a gestão de Ivã fechou contratos sem licitação e que não cumpriu recomendações expedidas pelo órgão antes de assumir o cargo.

Uma assembleia geral marcada para o dia 4 de dezembro pode abrir um processo de destituição contra Ivã.

COMPARTILHAR